terça-feira, 12 de janeiro de 2016

TAPE PORÃ

Um novo espaço de lazer. Uma obra magnífica. Ponto de encontros da cidade. Um cartão de visita. É assim o Tape Porã. Por algumas vezes, lá pelas 23 horas, passei pelo local e, impressionado, pude ver que o novo parque estava lotado. Pessoas caminhando, conversando, tomando chimarrão etc. E isso que ainda não é verão.
Segundo Alcides Vicini, o projeto será estendido até a Vila Jardim. Grande sacada. Talvez por dar vazão ao meu viés ecológico, tenho que esse espaço será o mais importante legado do atual prefeito à cidade. Antes fora o Parcão, no início da Av. Expedicionário Weber; depois a Pracinha, em frente ao 19º RCM; agora, na sequência sempre lingitudinal, a 1ª fase do Tape Porã - todos no espaço até faz pouco ocupado por trilhos de trem e suas áreas marginais (antiga RFFSA). Quando a 2ª etapa do Tope Porá estiver concluída, serão em torno de 4 Km de área verde contígua dentro da cidade. Em tempos de selva de pedra, um espaço verde desses é uma bênção.
Para a 1ª etapa do Tape Porã foram importantes: a) a escritora Maria Inez Pedroso (força de uma ideia); b) o procurador Osmar Veronese (aporte de R$ 600 mil do MPF); c) os ex e atual secretários de Planejamento Nasi e Borela (defesa do projeto); d) a arquiteta Danuza B. Kitlaus (responsável pelo projeto); e) o prefeito Vicini (privilegiamento ao lazer e à natureza).
 EDUARDO CUNHA
O presidente da Câmara dos Deputados está com o pala em tira. Depois de negar tivesse dinheiro no exterior, a Suíça o desmentiu. Lá ele tem US$ 5 milhões. Assim, Cunha incide nos crimes de improbidade administrativa e de perjúrio. Logo, deverá ser cassado.
Cunha (PMDB) lembra Maluf (PP). Mesmo comprovado ter dinheiro no exterior, o político paulista continuou negando. A negativa é a tese dos corruptos. Para o PT, as doações de campanha foram legais, independente da origem. A se acreditar no que dizem, chega-se à conclusão que Cunha, Maluf e Dilma são vítimas da maldade. Aos dois primeiros, alguém, à revelia, depositou dólares. À Dilma, doaram reais sujos para prejudicá-la. Que sacanagem!
REFORMA MINISTERIAL
A reforma ministerial anunciada como abrangente, virou arranjo, o toma lá, dá cá. A montanha pariu um ratinho. Saiu com a cara de Lula, Sarney, Barbalho, Calheiros, Temer (que time!). O PMDB levou a fatia maior. Mas isso não garante apoio ao governo, porquanto é um partido que consegue ser situação e oposição ao mesmo tempo.
O inchaço do governo é um dos seus problemas, não o maior. O maior é a falta de credibilidade, que, para recuperá-la, só se Dilma confessasse que mentiu para se reeleger. Voltaire ensinou: “Os homens erram, os grandes homens confessam que erram.” Como se vê, a presidente do Brasil se contenta com a 1ª parte do pensamento do escritor francês. 
QUE MODÉSTIA !
Na Argentina, Lula faz campanha para Daniel Scioli à sucessão de Cristina. À revista Gargana Poderosa, o ex-presidente brasileiro comparou a parceria entre ele, Hugo Chávez e Néstor Kirchner (que trio!) ao trio Pelé, Messi e Maradona. Só não disse quanto isso custou ao Brasil. Lula é o sapateiro que, por não ter desconfiômetro, vai além do chinelo.

Um comentário:

  1. tu so escreve besteira velhote. vai plantar batata velinho

    ResponderExcluir